Efeitos adversos de crack/cocaína na fertilização do mexilhão marinho Perna perna em diferentes cenários de acidificação oceânica

Júlia Alves Luzzi, Lorena da Silva Souza, Camilo Dias Seabra Pereira

Abstract


Em resposta à crescente carga atmosférica de CO2 e ao aumento da captação oceânica, os oceanos estão passando por mudanças físicas e biogeoquímicas: aquecimento da superfície, oxigênio reduzido e uma redução nos níveis de saturação de carbonato de cálcio e pH. As mudanças no pH e na composição química da água do mar podem modificar a especiação dos contaminantes, devido à especiação do elemento em grande parte dependente dos parâmetros físico-químicos (salinidade, pH, potencial redox). A hipótese deste trabalho é que a acidificação oceânica provocará maior toxicidade de substâncias bioativas para organismos marinhos devido aos efeitos combinados da droga e baixo pH (de 8,0 a 6,5) na reprodução do mexilhão marinho Perna perna. A taxa de fertilização foi conduzida para avaliar os efeitos das concentrações de crack-cocaína (6,25; 12,5; 25; 50 e 100 mg/L) e sua associação com a variação dos valores de pH. CENO e CEO foram calculados a partir dos resultados do ensaio de fertilização, sendo 25 mg/L a concentração de efeito não observado nos pHs 7,5 e 6,5 e 50 mg/L a concentração de efeito observado. Não foram observados efeitos nas concentrações de crack/cocaína quando expostos aos pHs 8,3; 8,0 e 7,0. Nossos resultados evidenciam que os gametas de P. perna sofrem efeitos mais contundentes quando expostos à concentração de drogas ilícitas e reduções de pH.

Palavras-chave: Acidificação oceânica; Crack/cocaína; Mexilhão; Perna-perna.

Adverse effects of crack / cocaine in the fertilization of the sea mussel Perna perna in different scenarios of ocean acidification

Abstract: In response to the increasing atmospheric load of CO2 and increasing marine uptake, oceans are undergoing physical and biogeochemical changes: surface and deep water warming, reduced underground oxygen, and a reduction in calcium carbonate saturation and pH levels. Changes in pH and seawater chemistry caused by increased CO2 may modify the speciation of compounds due to largely dependent on physicochemical parameters (salinity, pH, redox potential). The hypothesis of this work is that oceanic acidification will cause greater toxicity of illicit drugs to non-target marine organisms due to the combined effects of crack-cocaine and low pH (from 8.0 to 6.5) on the reproduction of Perna perna marine mussel. The fertilization rate was conducted to evaluate the effects of crack cocaine concentrations (6.25; 12.5; 25; 50 and 100 mg / L) and their association with the variation of pH values. NOEC and LOEC were calculated from the results of the fertilization rate assay, with 25 mg/L of non-observed effect concentration at pH 7.5 and 6.5 and 50 mg/L of low observed effect concentration. No effects on crack-cocaine concentrations were observed when exposed to pH 8.3; 8.0 and 7.0. Our results show that P. perna gametes react to acidification when exposed to crack and cocaine concentration and pH reductions.

Keywords: Ocean acidification; Crack-cocaine; Mussel; Perna-perna.


Full Text: PDF

Refbacks

  • There are currently no refbacks.